Sunday, March 20, 2005


ááO sono que desce sobre mim,
O sono mental que desce fisicamente sobre mim,
O sono universal que desce individualmente sobre mim —
Esse sono
Parecerá aos outros o sono de dormir,
O sono da vontade de dormir,
O sono de ser sono.
Mas é mais, mais de dentro, mais de cima:
E o sono da soma de todas as desilusões,
É o sono da síntese de todas as desesperanças,
É o sono de haver mundo comigo lá dentro
Sem que eu houvesse contribuído em nada para isso.
O sono que desce sobre mim
É contudo como todos os sonos.
O cansaço tem ao menos brandura,
O abatimento tem ao menos sossego,
A rendição é ao menos o fim do esforço,
O fim é ao menos o já não haver que esperar.
Há um som de abrir uma janela,
Viro indiferente a cabeça para a esquerda
Por sobre o ombro que a sente,
Olho pela janela entreaberta:
A rapariga do segundo andar de defronte
Debruça-se com os olhos azuis à procura de alguém.
De quem?,
Pergunta a minha indiferença.
E tudo isso é sono.
Meu Deus, tanto sono! ...
 Posted by Hello

2 Comments:

Blogger CatarinaCarneiro said...

É Sono é ...lol.. eu k o diga, para kem n tinha sono bem k o arranjast deprexa! =PPP ...e mesmo axim, postar a exa hora? ai ai ... depois dix k ta todo partido!! =P Beijoca (*muah) ;-)

6:55 AM  
Blogger CatarinaCarneiro said...

E tinha esquecido.. ve la s smpre keres ajuda pra por o relogio e o counter... sou loira mas smp consigo saber umas coisinhas k tu nao! =P E sabes k mais??? Pedir ajuda nao é sinal de fraqueza...como mto homens pensam! Bjo

6:58 AM  

Post a Comment

<< Home